Agiotagem: cresce o numero de vítimas no DF, uma ameaça contra a vida

agiota

Os agiotas preferem os que estão prontos para ser enforcados

“No Distrito Federal nos últimos anos, pessoas com certa reserva de dinheiro geralmente buscam formos de dobrar os seus rendimentos e muitos se transformam em agiotas, “Uma profissão que dá lucro”.

Os agiotas chegam a cobrar 20% a 30% de juros ao mês, o dobro da taxa de crédito cobrada pelos bancos. Não se sabe ao certo quantos são, mas eles estão na mira do Banco Central e da polícia. A quantidade de denúncias vem preocupando as autoridades conforme informou o departamento de atendimento ao consumidor do Banco Central.

As pesquisas feitas sobre o assunto são escassas e desatualizadas. Mais o que se vê é que a agiotagem atinge mais de 2 milhões de brasileiros e movimenta R$ 10 bilhões ao ano. Como as reclamações das vítimas crescem à proporção de até 35% ao ano, este número hoje já pode ter mais do que dobrado.

111029_agiota

Lucros da contravenção

O Ministério Público, Polícia Federal e o Banco Central em uma ação conjunta tentam fechar o cerco contra os agiotas. Em São Paulo, discute-se até a criação de uma delegacia específica para este tipo de crime. No ano passado, mas precisamente no mês Dezembro (14), dois esquemas que envolviam quadrilhas organizadas foram descobertos, resultando até em uma rara prisão de agiota. Um dos casos é de um empresário de São José dos Campos, que foi preso depois de atuar por seis anos na região. ” segundo ocorrência polícia ele usava uma empresa de fachada para atrair a clientela e movimentou milhões com a agiotagem”.

Um dos principais motivos para as pessoas procurarem um agiota enriquecendo esta contravenção penal é a dificuldade da quitação das dividas pessoais por simples trabalhadores. “Os bancos são extremamente rigorosos para conceder crédito até para quem tem conta”. A expectativa no momento é que o programa de microcrédito lançado pelo governo federal tire as pessoas do crédito marginal. Neste ano, a Caixa Econômica Federal já ofertou R$ 164,2 milhões de empréstimos.

Como agem os agiotas:

2 modo

Organograma da contravenção

  • Cobram juros de até 20% ao mês
  • Fazem o empréstimos sem exigência de fiador
  • O dinheiro é liberado na hora
  • Exigem cheques, carros ou imóveis como garantia
  • Está instalado em sobrelojas sem placas, geralmente no centro da cidade
  • Fazem ameaças de morte caso o tomador do crédito deixe de pagar

Por: Kadu Marques

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s